sexta-feira, 18 de novembro de 2005

Personagens #1 - O Balila

Há pessoas que passam pela nossa vida sem nela ter um papel importante mas que deixam marcas e recordações, às vezes até alguma saudade ou algo mais perto da nostalgia. Com este pensamento decidi iniciar esta rubrica, à qual minimalisticamente decidi chamar 'Personagens deste romance comico-trágico que foi a minha vida até agora', ou, carinhosamente, 'Personagens'.
De referir que, de maneira nenhuma o critério de escolha dos personagens está relacionado com a importância que têm para mim. Não quero que nenhum dos personagens, deste romance comico-trágico que foi a minha vida até agora, quê lêm isto (vá-se lá saber porquê...) se sinta de alguma forma desconsiderado por não ser mencionado.
Dito isto...


O Balila

Não é que o Balila tenha influenciado a minha vida ou nela seja um personagem preponderante, a particularidade é que o Balila foi, até agora (e ainda bem), a única pessoa entre as que eu considero amigas, que morreu, e morreu mesmo bastante jovem.
Devíamos ter uns 10 ou 12 anos e o Balila e mais outros amigos nossos andavam pendurados nos comboios. A estação da Amadora estava no processo de se tornar o que é hoje e havia uma plataforma provisória feita de madeira. Quando o comboio chegou à estação o Balila ficou com o pé entalado entre a escada do comboio e a plataforma e, provavelmente aliando a sua corpulência à adrenalina do momento de stress conseguiu partir a coluna ao tentar soltar-se, segundo ouvi em primeira mão, e não foi socorrido a tempo.
Era o mago do gamanço no continente, uma coisa profissional, até recebia encomendas de skates que era exímio a roubar com um à-vontade quase invejável.
Aqui fica um registo do Balila, podia não ser a mente mais brilhante do mundo, mas era provavelmente uma das mais bem dispostas. Espero que ainda haja muita gente a lembrar-se dele.

Nota: O irmão do Balila é o Bitra. Não sei onde é que eles arranjaram estas alcunhas…

2 comentários:

Shamanae, uma Rita Hot Pussy na reforma disse...

Eu lembro-me que tinha medo do Balila porque ele corria atrás das meninas indefesas. eu era (e sou) uma menina indefesa.
E também me lembro que quando o Balila morreu, o Bitra (sempre pensei que era Palalau, vai-se lá saber porquê) ficou tão desnorteado que jurou nunca mais festejar o aniversário. Porque o irmão tinha morrido exactamente porque ía apanhar o comboio para Lisboa para o celebrar.

O Balila... vaya...

De Balilas permite-me que passe a Palancas, negras.
Pois é, fico-me com esta pérola desde que soube que a seleção angolana vai ao mundial sob o nome de ´Palancas Negras´.

´Classificação do grupo IV

Sendo o único conjunto vitorioso nos cinco desafios que efectuou em casa, a Selecção Nacional vai procurar obter amanhã, o seu primeiro triunfo extramuros, quando defrontar em Kigali, a congénere do Rwanda, já que nos outros quatro duelos fora de portas não conseguiu mais do que três pontos, resultantes de igual número de empates e uma derrota. Tal desiderato coloca os Palancas Negras na liderança do grupo IV com 18 pontos, tantos quanto tem a Nigéria no 2º posto. O Zimbabwe com 15 pontos ocupa a 3ª posição, o Gabão a 4ª com nove e a Argélia o 5ª com nove. O Rwanda segura a “lanterna vermelha” do agrupamento com apenas cinco pontos.´

Uma pérola linguística.
Pergunto-me: o que é um desiderato?
Também gostei dos duelos, dá um ar de romance de cavalaria medieval que muito me apraz.

plis: http://www.fafutebol.com/

E, apesar de já não ser uma néscia activa, convido os meus néscios a visitarem o meu fló, que a ele já estão agregados.
Assim podemos comentarmo-nos mutuamente.
Que compartir es vivir
E o caraças

Ah. Também eu me pergunto se o Mantorras deverá focar no Benfica.

still me disse...

focar ou ficar que neste caso vai dar ao mesmo

eu tenho dislexia computacional

e detesto teclados