quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

Outra vez a merda do aborto...

Há pelo menos duas coisas que me chateiam neste assunto, e nem sequer vou falar no facto desta lei ser uma hipocrisia, que é. Uma delas é a lei em si. Se a lei considera que aquele conjunto de células é um ser humano, se há premeditação e intenção, porque é que o aborto não é tratado como um homicídio qualificado? Mas se calhar a lei não é assim tão “religiosa”. Outra coisa que me chateia, e muito, é o facto dos senhores do “não” acharem que toda a gente tem que se reger pela sua visão das coisas. Ninguém lhes vai obrigar a fazer abortos se a despenalização for avante! Porque é que hão-de querer impor a sua opinião aos outros? Eu vou votar “sim” e não tem absolutamente nada a ver com a minha posição em relação ao aborto. Vou votar assim porque acho que é uma questão na qual cada um deve agir segundo a sua consciência, quem é contra pode continuar a ser contra e quem precisa já não tem que ir a Espanha ou a um vão de escada qualquer. Será que a gente do “não” não compreende que não evita nenhum aborto? E mesmo que evitasse não estaria só a contribuir para que existissem ainda mais crianças indesejadas e desacompanhadas por este nosso país? Será que não era melhor abortar em vez de matar os filhos por anos de negligência e maus-tratos? Senhores do “não”, já vimos do que certos pais são capazes. Isto leva-me a crer que estes senhores que defendem o “não”, são pessoas que não estão preocupadas com o bem-estar dos outros, nem sequer com a defesa da vida, mas sim em impor a sua noção de certo e errado a toda a gente.

2 comentários:

Guy Pascoal disse...

Devia era fazer-se um referendo sobre a legalidade da masturbação! Como dizem os ena pá 2000, as novas gerações estão dentro dos co**ões! A masturbação é sem duvida nenhuma um aborto em massa! Só espero que os gajos a favor do não, não pratiquem tal crime! Já para não falar no pecado que é...

Rodovalho Zargalheiro disse...

Pois que é muito bem visto, sim senhor!