quinta-feira, 13 de abril de 2006

Azar

Vinha calmamente a conduzir quando, para meu terror se atravessa um gato preto à frente do carro. Estava ali à minha espera, fez questão de passar à frente do meu carro! Era azar tão certo que fiquei logo desorientado. Já com uma grande carga de stress em cima, sempre a olhar para um lado e para outro na tentativa de antever qualquer situação potencialmente perigosa não reparei que o carro da frente tinha parado. Quando me apercebi era tarde para travar, tive que me desviar para a outra faixa, exactamente no momento em que vinha um camião em sentido contrário que me obrigou a desviar para cima do passeio. Tudo teria ficado bem se não viesse um grupo de transeuntes que me obrigou a meter o carro por uma ribanceira. Descontrolado lá consegui, para gáudio do pastor, não acertar em nenhuma das ovelhas que lá andavam a pastar e fui bater numa árvore que me estalou a pintura toda do pára-choques!
E ainda há quem diga que os gatos pretos não dão azar!!!

2 comentários:

Guy Pascoal disse...

Fonix!! Ainda há pastores? :)

Prof. Baltasar disse...

Se não te tivesses posto a olhar para todo o lado á procura do azar terias visto que o carro da frente estava parado e não terias de fazer todas essa acrobacias e acabares por bater de qualquer forma. Provavelmente o azar não se pronunciaria naquele momente talvêz mais tarde ou provavelmente nunca, quem sabe, mas tambem se poderia traduzir com uma simples pisadela numa caquinha de cão, quem sabe.... O importante é não procurar o azar.