quinta-feira, 5 de maio de 2005

A letter to Zaida e Miguel

Hoje escrevi á Zaida, e depois envei para o Miguel

Porque no fundo escrevi para os dois

E os amo muito muito

Here it goes:

´Zaida, minha querida, conheço-te há tanto tempo como me conheço a mim. Temos tido vidas pararelas e diferentes mas sem nunca nos termos deixado de amar, de nos preocuparmos uma com a outra, de nos ouvir.
Devo dizer-te que de Portugal, das únicas pessoas (amigos) que se preocupam comigo é tu e o Miguel. E por isso vos amo tanto e vos tenho cada vez mais em tanta consideraçao.

Porque voçês nao partem do princípo que por estar a viver noutro país vivo la vida loca e é tudo perfeito. Sim, é louca muitas vezes e tenho a sorte de já ter vivo e conhecido muito em 4 anos que aqui levo. Mas também nao é fácil, tenho tido momentos muito duros, (em que as mudanças foram a soluçao! )
Mas eu sou eu, e eu sou a mesma, continuo a amar as mesmas pessoas, a precocupar-me da mesma maneira. A ter saudades vossas :)

Acho inclusivé que estou melhor, menos agressiva (agora vejo como era agressiva antes e a mudanças que se deram em mim), a tratar das minhas inseguranças parvas, mas igual. O meu interior é o mesmo.
Estou assim mais adulta, cheguei com 23 e tenho já 28, fiz-me mulherzinha sozinha :)

Sabes que todos os meus amigos aqui sentem o mesmo, que os amigos que deixaram em Portugal nao se interessam pela nossa vida. Como se mudar de país fosse mudar para um mundo perfeito. E quando estao com eles, os amigos nem lhes fazem perguntas de como estao, de como vai a vida, de como se sentem. E só falam deles... e assim é que os distanciamento acontecem. O que eu considero ser muito pouco inteligente,,,O único que ouvem é ´entao agora é espanhola´.
Nao!! Sou portuguesa até ao tutano! Amo o meu país, Lisboa é única cidade do mundo capaz de me emocionar, sou a chata que cozinha bacalhau para toda a gente, que mostra música portuguesa (Pluto, Ornatos Violeta, Pinhead Society, Jorge Palma (ainda me emociono quando oiço a ´Cançao de Lisboa´), que pede ao pai pelo natal 5 kilos de alheiras e depois os distribui pelos amigos com a respectiva explicaçao histórico-gastronómica. E sou eu, sou muito eu e nunca deixei de o ser. Aprendi a mar Espanha porque ao viver aqui descobri que existe muito mais que ´clap clap clap olé´, como nós somos muito mais que a saudade e o fado. Mas isso foi um acrescento a mim, nao uma anulaçao do que era antes.

Por isso agradeço-te do fundo do coraçao o teu carinho e a tua preocupaçao

Eu estarei sempre aqui para ti :)

E vai em frente, dá um salto na tua vida, só vais crescer!


Mil beijos meu amor

Cláudia´

1 comentário:

Funny Analana disse...

muito bonito :)
beijinhos